RICARDO BURGARELLI

Artista plástico, desenvolve projetos e estudos circunscritos nos campos da história, da memória e da técnica, trabalhando a instalação como lugar de narração. É Mestre em Artes e Tecnologia da Imagem pelo PPGArtes e graduado em Artes Visuais pela EBA-UFMG. Participou do ciclo de exposições Temporada de Projetos do Paço das Artes (SP, 2015) e foi artista-residente no projeto Bolsa Pampulha (2013/2014), realizado pelo Museu de Arte da Pampulha (BH). Recebeu o Prêmio honra ao mérito Arte e Patrimônio pelo Paço Imperial (RJ, 2013);  Prêmio aquisição no Situações Brasília: Prêmio de Arte Contemporânea (Distrito Federal, 2012); Prêmio Camelo de Artes Visuais (BH, 2013). Suas obras compõem o acervo do Museu de Arte da Pampulha, do Museu Nacional de Brasília, da Coleção de Livros de Artista da UFMG e do Museu Victor Meirelles. Atua na Oficina Vão (Belo Horizonte).

 

Na FLAC Ricardo Burgarelli apresenta desenhos e gravuras das séries “PanAméricadsueño” (2017), “Sacco e Vanzetti não podem morrer”, “Quando tombam trovões” e “Capital”. Também expõe fotografias, gravuras e peças gráficas da instalação “Inferno Verde” (2015), articulada a partir de estudo e elaboração de memórias relativas à Colônia Penal de Clevelândia do Norte – campo de trabalho forçado instalado na região do Oiapoque (AP) na ocasião do regime de exceção durante o governo de Arthur Bernardes, presidente da República dos Estados Unidos do Brasil de 1922 a 1926.

Exposições recentes: PanAméricadsueño. Instalação. Galeria Maristella Tristão / Palácio das Artes (Belo Horizonte, 2017); Tudo é tangente. Museu Memorial de Minas Gerais (Belo Horizonte,  2017); Arte e Política no Acervo do MAP (2016); Sesc Palladium (Belo Horizonte, 2016); FIF – Festival Internacional de Fotografia, Cento e Quatro (Belo Horizonte, 2016)