RAFAEL PERPÉTUO

Artista multimídia, trabalha em diversas frontes, da pintura e escultura ao vídeo e performance, colaborando também em projetos de música, design e literatura. Seu trabalho tem se ocupado da simbologia contida em questões marginalizadas, investigando atualmente os limites sociais ativados por fenômenos externos por meio de fenômenos naturais (ótica) ou psicológicos (psicoativos). Especialmente neste campo, desenvolveu trabalhos que lidam com os limites da legalidade. Participou de residências como Permeabilidades (com orientação de Otobong Nkanga – CEIA, Funarte, BH, 2012); NUVEM media lab (Visconde de Mauá, RJ, 2012); Anekso I (SESC Palladium, 2011). Foi premiado com o grupo INDIGESTÃO no Prêmio ArtePraia 2014 (Natal/RN); e Rede Nacional FUNARTE (2013).

Na FLAC Rafael Perpétuo apresenta a obra Apologia, um simulacro de um estande popular encontrado em quase toda cidade brasileira. Os produtos exibidos e vendidos tem imagens, símbolos químicos, desenhos, fotos, textos, transformados em informação “neutra” sobre diferentes acepções LEGAIS e ILEGAIS de psicotrópicos. Assim, a apologia não se concretiza e passa a tomar a forma do conhecimento, informação. Por meio da compra desses produtos/obras o artista espera ativar o entendimento da obra de arte como objeto de reverberação de um conhecimento social, antropológico, biológico, político, econômico, psicológico, para que este ao ter o trabalho em mãos reverbere sua curiosidade em uma busca mais aprofundada sobre o assuntos, criando ressonâncias estruturais e críticas a partir de um objeto do cotidiano.

Este trabalho foi desenvolvido primeiramente para a feira SOLO em 2013.

Exposições recentes:

2016 – “Ficções Museológicas”, Espaço f – Escola de Belas Artes (UFMG), curadoria de Adolfo Cifuentes;  

2016 – “Abre-Alas”, Galeria A Gentil Carioca, Rio de Janeiro/RJ;

2014 – Feira de Arte Impressa Tijuana, com a Lavoura edições, Casa do Povo, SP;

2014 – coletiva “fARTura” – Galpão Paraíso, BH/MG;