PAULO NAZARETH

O corpo é presente em todo o trabalho de Paulo Nazareth. O artista coleciona, ao longo de toda a sua caminhada, leituras iconográficas paradoxalmente iconoclastas acerca dos objetos, lugares, discursos asseverados e costumes socioculturais, executando em todo o seu trabalho uma narrativa pictórica que vai além de técnicas comuns, buscando colocar corpos físicos em espaço expositório. Nascido em 1977, na cidade de Governador Valadares (MG), Paulo Nazareth carrega em si a bagagem de andarilho, tendo percorrido longas distâncias, da aldeia de Caiová à Nova York, de Miami à Mumbai dentre vários destinos curiosos. Dessas experiências, poder-se-ia concluir que os signos narrativos de Nazareth se perderiam, mas não, o artista consegue unir diferentes referências em prol de um relacionamento plural entre a historiografia estética brasileira e o caminho de volta do homem às suas origens. Paulo Nazareth é vencedor dos prêmios PIPA 2016; PIPA Voto Popular Exposição 2016; Prêmio MASP de Artes Visuais (2012). Seu trabalho já foi apresentado em Berlim (Alemanha), Rússia, Estados Unidos dentre mostras individuais e coletivas. Integra também coleções na Boros Collection (Berlim, Alemanha), Thyssen-Bornemisza Art (Viena, Áustria), Pinault Collection (Paris, França), Coleção Banco Itaú (São Paulo).

Na FLAC Paulo Nazareth apresenta Panfletos em papel-jornal, Serigrafias em papel e Gravuras em metal, entre elas as gravuras da série Produtos de Genocídio – um reconhecimento às organizações ou clubes de futebol que se utilizam de nomes e elementos da cultura indígena. É a dolorosa lembrança de um extermínio e também uma recordação póstuma, uma convocação para reflexão sobre o genocídio que não deve jamais ser esquecido. Recorda-nos que produtos não compensam os povos mutilados, dizimados, aculturados. Que as logomarcas não chegam aos túmulos e valas comuns.

Exposições recentes: 2017 – Old Hope, Mendes Wood DM (São Paulo, Brazil);

2015 – Genocide in Americas, Meyer Riegger (Berlim, Alemanha);

2014 – Che Cherera, Mendes Wood DM (São Paulo, Brasil);

2014 – The Journal, Institute for Contemporary Arts (Londres, Reino Unido);

2014 – Banderas Rotas, Galleria Franco Noero (Turin, Itália)