NOEMI ASSUMPÇÃO

Artista visual. Vive e trabalha em Belo Horizonte. Graduada (bacharelado) em Design Gráfico pela escola de Design\UEMG e Artes Plásticas com habilitação em desenho pela Escola Guignard\UEMG. Integrante do “Grupo Indigestão”, seu trabalho transita entre a Escultura, o Desenho, a Instalação, o Vídeo e principalmente, a Performance. O interesse pelas pressões psicológicas e sociais de TER que ser: mulher, mãe, esposa, filha, irmã, modelo/manequim, vegetariana, sem glúten, sem lactose, bem-sucedida, analisada, vitaminada e feliz, uma vez articuladas ao humor, por vezes ácido, passam a caracterizar a maioria das imagens criadas. Juntamente com os excessos ou o branco, seja do papel ou do próprio espaço, representam as diversas tentativas de preenchimento do vazio existencial da artista nesse “fazer caber” social normativo contemporâneo. Nessa perspectiva, busca através das variantes de sua expressão artística, discutir o consumismo desenfreado e todos os impactos e decorrências que ele tem proporcionado à sociedade em geral no âmbito visual. Seu olhar se debruça nas questões psicológicas, sentimentais, sociais e relacionais de como a violenta exposição ao consumo, tem nos iludido, nos excitado e nos escravizado. Nestes termos a comida em todos os seus formatos, torna-se material de trabalho, pois se ‘somos o que comemos’ comemos das prateleiras, somos produtos, somos rótulos, processados, embalados, dispostos à apreciação. Ou não. Somos todos feitos de consumo. Cercados por espelhos. Somos propagandas, somos imagens meramente ilustrativas de nós mesmos e do mundo.

Na FLAC apresenta trabalhos que se aproveitam do conceito de sua criação atual, partindo de imagens meramente ilustrativas aliadas ao formato da expografia. São trabalhos de pequeno, médio e grande porte, desenhos, aquarelas, fotografias, gravuras e objetos. O espaço expositivo será montado como um “microssupermercado” (meramente ilustrativo) de obras de arte. Prateleiras e gôndolas serão utilizadas para a disposição das obras.

Exposições recentes: 2017 – Festival Camelo de Arte Contemporânea, Mostra dos Premiados – Memorial Minas Vale – Belo Horizonte, MG. 2016 – País do Passado/País do Futuro: ações e conversas Brasil/Polônia, realizado pelo Instituto Adam Mickiewicz de Varsóvia em Belo Horizonte – ESPAI – Belo Horizonte, MG. 2016 – Imagens meramente ilustrativas, Galeria de Arte BDMG Cultural, Belo Horizonte – MG. 2015 – Melancia não é maçã do amor – Galeria Nello Nuno/ FAOP, Ouro Preto-MG.