MAÍSE COUTO

Artista plástica. Vive e trabalha em Belo Horizonte. Graduada em Artes Plásticas com habilitação em desenho e pintura pela Escola Guignard\UEMG. Possui pós-graduação em Desenvolvimento e Gestão Cultural. Realizou exposições individuais e coletivas em diversos espaços da cidade de Belo Horizonte e região. A artista constrói um universo pictórico elaborado num espaço que não se submete à linearidade de nenhuma perspectiva conhecida, mas a uma paisagem só experimentada no território livre da poesia e da pintura. Cria paisagens abstratas para a memória, habitadas por uma criança inspirada nos retratos de sua filha, simbolicamente utilizada para representar sua própria imagem infantil em espaços indefinidos e em situações e ações que revelam resquícios mesclados de lembranças e de imaginação. Se apropria da matéria pictórica para refazer no plano sua vivência, deixando submergir camadas físicas e metafísicas de suas recordações indiretas. Não se trata de representar ou buscar reter uma lembrança, mas assumi-la como algo a ser sentido. A memória como uma imagem aberta e afetiva, propicia ao devaneio artístico.

Na FLAC apresenta um lote de dez pinturas. Todas utilizando técnicas semelhantes, com uso de tinta acrílica, óleo, e algumas com a utilização do carvão vegetal. Os tamanhos são variados e alguns quadros estão emoldurados com fina moldura de madeira clara.

Exposições recentes: 2017 – Exposição dos premiados no VII Salão de Arte de Itabirito Regional, MM Gerdau, Museu das Minas e do Metal, Belo Horizonte, (a se realizar em outubro). 2017 – “Como Arrumar Flores num Jarro I”, pinturas, Galeria Nello Nuno, Fundação de Arte de Ouro Preto – FAOP, Ouro Preto, MG.  2015 – “Indizível”, desenhos, fotografia e instalação, Galeria Alberto da Veiga Guignard, da Escola Guignard, UEMG, Belo Horizonte. 2015 – “Paisagens no Aquário”, pinturas. Na Galeria MGTI, da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação de Minas Gerais (ASSESPRO-MG), Belo Horizonte, MG.