LUANA VITRA

Artista Visual. Vive em Belo Horizonte. Graduanda do curso de Artes Plásticas (bacharelado) pela Escola Guignard – UEMG. Atua como bailarina no grupo Dança Jovem, dirigido por Ester França. É formada em Confecção e Moda pelo SENAI Modatec, e em Dança, pela Escola Livre de Artes. Participou da Exposição Rampa II, e da Mostra Interna da Escola Guignard em 2016. A paisagem atualmente tem sido um motivo recorrente em sua produção, entendendo-a sempre a partir da relação com o corpo, e desse encontro torna-se possível o acontecimento na matéria. O peso, a densidade e a relação com a gravidade são matérias para a criação de seus trabalhos, como se da paisagem lhe interessasse o chão.

Na FLAC apresenta trabalhos de desenhos e registros fotográficos de performance. A série “Gravidade” possui como referência os trabalhos de Paulo Bruscky em torno da Arte Postal, no entanto o endereçamento ocorre no campo simbólico e é utilizado como modo de ir do processo de criação. O trabalho “Chão” possui as mesmas motivações poéticas da série “Gravidade”, visto que ambos foram produzidos na mesma época. Tendo ambos como suporte o papel, em sua superfície são utilizados desenhos, colagens e carimbo. “Corpo-paisagem” é uma performance que ocorreu em 2017 na qual dois corpos se instauram no espaço, um sobre um monte de terra e outro sobre um monte de areia, e cria-se assim dois relevos que modificam sua topografia através do trajeto que traçam na alternância entre os montes. Essa performance trata o encontro como elemento transformador da paisagem e criador de uma nova percepção de território, dissolvendo as fronteiras invisíveis através do encontro das matérias.

Exposições recentes: 2016 – Mostra Interna Escola Guignard. 2016 – Exposição Rampa 2 – Laboratório, instalação, escultura. Escola Guignard, curadoria Sônia Labouriau. 2016 – Exposição Zeitgeist: A arte da nova Berlim – Participação como performer na obra standard time de Mark Formanek – Centro Cultural Banco do Brasil, Belo Horizonte.