CHRISTINE PEREIRA

Graduada em Artes Visuais com habilitação em licenciatura pela Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. Na FLAC apresenta obras que fazem parte da série que teve origem nos desenhos realizados dentro de ônibus e algumas das gravuras da série Músicos de Rua, incluindo obras produzidas em 2017. Participou do Programa Ciência sem Fronteiras, cursando disciplinas de História da Arte na Università degli studi di Firenze, em Florença/Itália, onde participou de um curso de gravura em metal na Fondazione il Bisonte. Participou de diversas exposições coletivas e em 2014 foi uma das premiadas do 4º Prêmio Ibema Gravura. Em sua pesquisa poética realizou registros de espaços públicos nos quais estão presentes aglomerados de pessoas que apesar de dividirem o mesmo espaço, não interagem entre si. Esse movimento de fechar-se para o mundo mesmo estando imerso nele, de requerer privacidade no espaço público – onde estamos “disponíveis” em relação ao outro e ao mesmo tempo impomos “barreiras” –, se tornou objeto de estudo da artista. O uso da gravura tem a intenção de criar ambientes dramáticos, escuros e incômodos, trazendo essa esfera solitária e dramática vivenciada pelas ruas das cidades. Durante o período em que passou na Itália, deu início à série Músicos de Rua tendo como referência gravuras de grandes artistas, passando a realizar pesquisas técnicas na gravura em metal. Inicia então uma busca por efeitos e texturas, momento em que a materialidade da gravura passa a ganhar força em seus trabalhos. Tem desenvolvido pesquisas em que discute a importância do ensino de Arte na infância.

Na FLAC Christine Pereira apresenta obras que fazem parte da série que teve origem nos desenhos realizados dentro de ônibus e algumas das gravuras da série Músicos de Rua, incluindo obras produzidas em 2017.

Exposições recentes: 2015 – Zé do Monte: mestre tipógrafo. Centro Cultural da UFMG, Belo Horizonte, MG; 2014 – 4º Prêmio Ibema Gravura, Museu Guido Viaro, Curitiba, PR.