ÁLVARO TOMÉ

Bacharel em Artes Plásticas e pós-graduado em Arte e Contemporaneidade pela UEMG – Escola Guignard. Na série “armadilhas”, que será apresentada na Feira Livre de Arte Contemporânea, Tomé cria metáfora e critica os crimes de abuso infantil. Na escolha dos objetos a serem representados, insere imagens de obras do artista Takashi Murakami e Jeff Koons. Na série “bonecos bolas de gude”, também presente na FLAC, o artista se apropria de imagens de bonecos produzidos com bolas de gude e massa plástica, que geralmente são vendidos em feiras populares, fotografa e os representa em pinturas. Faz uma analogia à antropofagia: quem ingere o outro tenta absorver seu conhecimento, suas forças. Posteriormente o artista não apenas representa os bonecos, mas passa a manipular os reflexos inseridos nos mesmos. Em algumas telas faz alusão a obras de Tarsila do Amaral, uma afirmação da ideia de antropofagia. Além das pinturas, atualmente produz esculturas de resina com fibra de vidro, tintas variadas e verniz automotivo.

Na FLAC Álvaro Tomé apresenta obras da série “armadilhas” e esculturas. As pinturas são acrílicas e óleos sobre tela. As esculturas são em resina plástica e fibra de vidro, pintadas e posteriormente envernizadas.

Exposições recentes: 2016/17 Desejos de Pelúcia, Coletiva. Sesc Poços de Caldas, MG; 2016 – Feira de arte contemporânea. Paço das Artes / USP – São Paulo, SP; 2015 – ArtBH, Minas Centro, Belo Horizonte, MG; 2014 – Dualidades. Galeria Contempo, São Paulo, SP.